Como nasceu a primeira comunidade de atração de talentos em Portugal

Como nasceram? Quem está na origem do projeto?

O projeto nasce da identificação de um “paradoxo de recursos humanos”: de um lado, empresas globais fortemente recrutadoras de profissionais qualificados em tecnologias de informação, engenharia, finanças, idiomas, etc., muitas vezes com dificuldade em contratar, e de outro a existência de uma geração qualificada, como nunca antes houve em Portugal, mas com dificuldade em encontrar emprego no nosso país, necessitando, muitas vezes, de emigrar.

A Talent Portugal surge de um conjunto de iniciativas realizadas pelo TICE (Pólo das Tecnologias de Informação, Comunicação e Electrónica) e pela associação Eurocloud Portugal, que, desde 2012, têm organizado encontros e estudos, no sentido de procurar soluções em recursos humanos, infraestruturas e incentivos para estas empresas.

Qual o objetivo? Como se financiam?

Neste enquadramento, a Talent Portugal surge como a “nova comunidade de talento, ponto de encontro entre candidatos, empresas e instituições, localizada na costa oeste da Europa”.

Detém o site talentportugal.com que, com o lema “All about top hiring companies!”, disponibiliza uma plataforma completamente inovadora em Portugal, apresentando numa “company page” toda a informação que um candidato deseja conhecer sobre uma empresa e que com muita dificuldade conseguiria encontrar: localizações, links da empresa, vídeos, fotos, notícias, e naturalmente, ofertas de emprego).

Damos muita importância à relação informal entre os membros da comunidade com troca eficaz de contactos, sempre com o objetivo de aumentar a empregabilidade do setor, favorecendo o crescimento do talento nas empresas e a genuína felicidade dos colaboradores.

Que primeiros resultados podem dar?

No âmbito do lançamento foram realizados dois estudos. O primeiro, com uma amostra de 13 grandes empresas, revelou que no seu conjunto empregaram 2.900 trabalhadores nos últimos dois anos e pretendem empregar mais 3.700. Estes números extrapolados para a totalidade do setor evidenciam bem o seu potencial empregador.

Também o número de inscritos na International Job Fair, logo na sua primeira edição, atingiu mais de nove centenas.

Existe uma grande apetência pelo conceito de comunidade e de comunicação digital e física entre os membros da comunidade, o que prova a eficácia do conceito.

Para que setores e com que funções?

Atualmente, os setores target são os das tecnologias de Informação, centros de engenharia, shared service centers e centros de customer service. Contudo, verificámos, entretanto, que outras áreas, como a indústria, retalho, comércio ou turismo revelam necessidades de talento semelhantes, pelo que é nosso objetivo alargar o modelo de comunidade a todos os restantes setores.

Partilhar

Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter

Outros artigos ________